• Diocese de Eunápolis

Uma vez catequista, sempre catequista

Atualizado: 26 de jan.


Os catequistas brasileiros Regina de Sousa Silva e Wanderson Saavedra Correia



Dois brasileiros vão representar os catequistas de todo o continente americano ao receberem das mãos do Papa o ministério de catequistas neste Domingo da Palavra de Deus. Eles receberão uma cruz, reprodução da cruz pastoral usada primeiro por São Paulo VI e mais tarde por São João Paulo II, para recordar o caráter missionário do serviço que se preparam para administrar. O Vatican News transmite a cerimônia ao vivo, com comentários em português, a partir das 9h30 locais (5h30 no Brasil).


Bianca Fraccalvieri – Vatican News Na missa que o Papa Francisco presidirá por ocasião do Domingo da Palavra de Deus (23/01), dois brasileiros receberão das mãos do Santo Padre o ministério do catequista. Trata-se de Regina de Sousa Silva e Wanderson Saavedra Correia, ambos da Diocese de Luziânia, no Estado de Goiás.

Os dois são catequistas há 11 anos: Regina na paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Valparaíso, e Wanderson na paróquia Nossa Senhora Aparecida na cidade de Luziânia, com os religiosos passionistas.

Ouça a reportagem completa






Não obstante as dificuldades da viagem em meio a uma pandemia, com dez dias de isolamento ao chegarem a Roma, a tempo somente de participarem da celebração, eles vivem este momento como uma “graça extraordinária”:

“Nós nos sentimos muito gratos, lisonjeados em estar aqui representando, não somente por nosso mérito, cada sentimento, cada catequista, cada esforço de quem está lá no Brasil, as lutas e conquistas de cada um. Então para nós é uma graça extraordinária, não tem tamanho estar aqui, poder mostrar um pouco do nosso trabalho. Vejo também como uma grande recompensa de Deus para nós. Essa é a nossa maior vitória, nossa maior recompensa: poder plantar essa sementinha da evangelização no coração de cada um. Ser catequista não é um trabalho voluntário, é um comprometimento com Deus, comprometer-se nesta missão. Uma vez catequista, sempre catequista.” "Papa Francisco, os catequistas do Brasil o amam"

Wanderson atua de modo especial como catequista de jovens e garante que eles se transformam quando se deixam tocar por Jesus. “É algo grandioso em nossa caminhada.” “Hoje, a nossa função com a iniciação à vida cristã é mostrar de fato a vivência e levar Cristo a todos. Cristo sendo o centro da nossa caminhada, tão importante nos dias de hoje. Por ser um mundo tão digital, tudo mais acessível na palma da mão, tudo se torna muito difícil. Então encontrar-se com Cristo, esse despertar do kerigma, leva os jovens a se abrirem ao novo e temos uma transformação na nossa Igreja.” Para Wanderson, vai ser difícil segurar a emoção do encontro com o Papa e se tiver a oportunidade de dirigir algumas palavras a ele, Wanderson não tem dúvidas: “Os catequistas do Brasil o amam por tudo o que tem feito por nós”


Fonte: www.vaticannews.va







28 visualizações0 comentário